Atividades Infantis sobre a Família

Atividade crianças família

Dia dos pais e das mães, de alguma forma, já possuem a ideia da necessidade da família. Entretanto, normalmente, as atividades familiares são sempre dividas, para ora privilegiar a mãe e ora os pais. Mas devemos, também, ensinar a totalidade familiar.

Cuidando do ovo

Uma boa oportunidade para ensinar as diferenças e necessidades diferentes que são supridas por pais e mães é a brincadeira do ovo, em que as crianças deverão ser pais do alimento. Posteriormente, deverão contar para toda sala a experiência que tiveram e a diferença do tratamento entre os alunos.

Depois, devem ser levadas ao debate. Atualmente, muitas crianças não contam mais com seus pais ou mães em casa. Mas devem ser perguntadas se realmente estão felizes com o modo em que vivem e o que deveria ser feito para que a vida delas melhorasse. Para os que vivem juntamente com os dois pais, deve ser perguntado se a vida deles seria a mesma, caso seus pais se separassem e se seria melhor ou pior e se eles acham que depois de alguma briga por causa do ovo, a boa criação, educação e participação na vida do “filho” poderia ser comprometida por desentendimentos e uma possível separação.

A ideia é que eles comprovem que viver com os pais em casa é algo muito e que deve ser aproveitado ao máximo. Para os que não possuem desta benção, devem pensar que podem contar com ambos e diminuir a diferença de atenção, educação e carinho que são distribuídos à distância. Ou seja, devem aprender a minimizar o efeito destruidor da separação.

A conversa pode ser estendida a mais pontos. Quando crescerem como querem agir, como mulheres e homens? Como pensam que serão melhor para seus filhos? Eles cogitam separar quando casarem?

O objetivo da prova e da discussão é entender que a família é imprescindível, um elo vitalício entre as partes. Que mesmo que aconteçam algumas discussões pela vida, o amor deve ser mantido para a alegria deles e do próprio filho. E por fim, entender que a separação não trás real felicidade para ninguém.

Comentários