Brincadeira Infantil de Pular Corda

Pular corda

Pular corda está entre as mais conhecidas e as mais queridas atividades infantis. A brincadeira é ótima e conquista crianças de diferentes idades.

Todo mundo já pulou corda alguma vez e sabe o quanto é divertido. E se agora a sua pretensão é ensinar seus filhos a praticar esta atividade que estimula o condicionamento físico, a agilidade, a memória, a noção de sequência e lateralidade, além da socialização e do gasto de energia associado à queima de calorias, esta é a sua chance de recordar cada regra e se divertir muito com os pequenos.

Antes, vale lembrar que a idade ideal pra começar a pular corda é a partir dos 5 anos de idade, fase que a criança já tem mais equilíbrio e é mais independente.

Para iniciar a brincadeira é preciso ter no mínimo três crianças: duas para “bater a corda” e a terceira pra pular, revezando sempre. Pra isso é necessário uma corda e um espaço que pode ser a garagem de casa, o quintal, o jardim, o clube, o condomínio, o parque, a pracinha, a calçada, numa chácara, na praia, etc.

Na versão básica, dois participantes seguram a corda, cada um numa ponta, batendo em círculo em tempo ritmado, enquanto isso a terceira criança pula, sempre que a corda tocar o chão. Para deixar a atividade mais atraente no que diz respeito ao ritmo e aos pulos, tudo poderá variar. Quanto mais jogadores e quanto mais rápido o ritmo, maior será a dificuldade, principalmente em pulos coreografados acompanhados de músicas.

Relembre uma das músicas:

“Um homem bateu em minha porta. E eu abri.

Senhoras e senhores ponham a mão no chão (o participante pula e rapidamente agacha, tocando o chão).

Senhora e senhores pulem num pé só (o jogador pula com um único pé).

Senhoras e senhores deem uma rodadinha (pula e roda na sequência).

E vá pro olho da rua! (o jogador sai, abandonando a corda).”

Para crianças pequenas, os jogos devem ser mais simples, como a versão “cobrinha” (onde os batedores movimentam a corda rapidamente da direita para a esquerda (com a corda no chão), enquanto a criança atravessa de um lado pro outro, onde a única regra é não encostar na corda).

Comentários