Trabalhando a Resenha Crítica

A resenha crítica nada mais é do que um resumo crítico. Resenhar consiste, primeiramente, em ter um olhar mais aprofundado a respeito de determinado objeto, ou seja, é necessária uma análise criteriosa e ponderada sobre aquilo que se pretende julgar. Não se trata, portanto, de tarefa simples. O objeto em questão pode ser um livro, um filme, um quadro, uma questão política.

 

É importante enxergar todos os elementos prévios, como o tema abordado, o problema apontado pelo autor, certa posição defendida por ele, além de fazer um levantamento dos argumentos usados para tanto.

 

Mas apenas isto não basta. É importante que sejam feitas reflexões e análises por parte de quem redige a resenha crítica, relacionando de modo coeso, coerente e contextualizado – com outras referências prévias, adquiridas por meio de outras leituras e ideias que tratam do assunto/tema. Tais elementos levantados deverão desse modo, contribuir para que a resenha crítica tenha peso e valor referencial.

 

Como fazer uma resenha

 

Em linhas gerais, o texto elaborado deverá seguir uma linha de raciocínio lógico e fundamentado, dividido em parágrafos que tenham relação entre si. Nos parágrafos iniciais, ou seja, na introdução, deve-se identificar o assunto, a questão problema, e a posição apontada pelo autor, no caso de um livro. O mesmo procedimento se dará com um filme, ou na análise de uma exposição de arte.

 

No desenvolvimento, é importante fazer uma apresentação do conteúdo do objeto em questão, apresentando as ideias centrais, bem como argumentos secundários que visam defender o argumento central. Já na conclusão, virá uma crítica pessoal fundamentada, na qual se faz uma avaliação de tudo o que foi apresentado.

 

Uma boa resenha tem de ser curta, para não ser enfadonha e não se transformar num ensaio, que é outro gênero, embora dentro do mesmo segmento argumentativo. A resenha também é escrita em forma de um texto corrido, no qual se indica sempre a obra/objeto que está sendo avaliado, com um resumo para fazer com que o leitor saiba exatamente sobre o assunto tratado. Isto já no primeiro parágrafo. Vale salientar que há diversos modelos de resenha. Mas há sempre uma base para fazê-lo, em especial quando se trata de uma resenha de caráter escolar.

 

No segundo parágrafo, um breve resumo já deve ser desenhado, para que no terceiro parágrafo, os primeiros apontamentos e impressões sobre o objeto vão se concretizando. No quarto, volta-se aos dados do objeto em questão, para que, no quinto e último – sempre pensando em um texto de aproximadamente 30 linhas, sejam feitas as considerações finais e as recomendações para o leitor.

Comentários